frase do dia: ‘a homofobia é mais uma constatação da perda da ternura no mundo, ser
preconceituoso com os LGBTs é retroceder; além de prejudicar o crescimento humano.’

(letícia spiller - atriz brasileira)

última atualização: 19/08/2009 20:36:42

segunda-feira, 27 de julho de 2009

o que é: teologia inclusiva

Teologia Inclusiva

Nasceu em 1968, com o Reverendo Troy Perry, fundador da primeira Igreja direcionada para a pregação do evangelho para gays, lésbicas e transgêneros. A Inclusão Cristã prega uma releitura contextualizada da Bíblia, rejeita o fundamentalismo cristão, afirmando que a Bíblia, de forma alguma, reprova ou condena a afetividade homoerótica. O Evangelho é para todos e todas, sem distinções.

Igreja condenatória

É aquela totalmente repressiva que não consegue separar o pecado do pecador. É cercada de limites, inflexível e em nome de Deus julga, condena e exclui o membro, taxando-o de indigno e corrupto. Geralmente é povoada de hipócritas, escribas e fariseus que colocam jugos pesados demais sobre as pessoas, os quais eles mesmos não podem carregar. A disciplina nesta igreja visa apenas a punição e o sentimento de culpa. O modelo de Deus é apenas o de um juiz, severo, implacável, sem misericórdia, sádico, sem amor. A igreja limita Deus.

Igreja Inclusiva

igreja inclusivaAutodenominada inclusiva, a ‘Igreja Cristã Contemporânea’ integra um movimento de vertente evangélica que não vê a homossexualidade como uma doença a ser curada. Muito pelo contrário. Tais congregações religiosas têm um discurso positivo em relação à diversidade sexual, abrindo a possibilidade para que lésbicas, gays e transgêneros se tornem não apenas fiéis, mas também pastores.

Ser gay dentro de uma igreja conservadora é uma impossibilidade, não há lugar para essa pessoa, a menos que ela venha a aderir à norma e se torne ex-homossexual, por exemplo. A diferença do movimento inclusivo para as outras igrejas é que nele o poder eclesial é concedido às pessoas LGBT, já que há uma proposta política de desconstrução da homofobia religiosa.

A ‘Igreja da Comunidade Metropolitana’, no Rio de Janeiro, e a ‘Igreja Acalanto’, em São Paulo, despontaram como as primeiras igrejas no Brasil abertamente voltadas para a inclusão da população LGBT.

Reverendo Troy PerryEm 2004, um sobrado com capacidade para 200 pessoas na Lapa, no centro do Rio de Janeiro, abrigou uma igreja nova. A organização religiosa poderia passar despercebida se não fosse por um detalhe: tratava-se do primeiro templo voltado para a comunidade gay no país. Chamada no Brasil de ‘Igreja da Comunidade Metropolitana’ (ICM), a ‘Metropolitan Community Church’, fundada nos Estados Unidos há 40 anos possui um viés ativista, identificando-se como uma igreja que tem como proposta a defesa dos direitos humanos, o que inclui a luta contra a homofobia religiosa. Sem impor regras rígidas aos fiéis, ganha adeptos pelo mundo pregando que Deus ama a todos, independentemente da orientação sexual. Sobrevive de ofertas espontâneas e aposta em paciência e empenho para lutar pelos direitos dos homossexuais, entre eles o reconhecimento do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Marcos GladstoneDurante a década de 1990 havia um intenso contato entre militantes brasileiros e membros da igreja, mas aqui, a ‘Igreja da Comunidade Metropolitana’ chegou de maneira inusitada. Descontente com a igreja evangélica que freqüentava desde pequeno, o advogado carioca Marcos Gladstone, de 28 anos, descobriu o site da ‘Metropolitan Community Church’. Ele traduziu o material on-line e lançou uma versão em português do site em 2002. Em um ano a 'Igreja da Comunidade Metropolitana', ainda virtual, tinha alcançado 20 Estados. Foi a deixa para a formação de grupos locais que se reuniam em praças e clubes até a inauguração de uma sede oficial. Hoje, Marcos Gladstone é pastor e representante da denominação no Brasil.

A Igreja começou voltada para a comunidade gay e lésbica, mas que está aberta a qualquer um. O reverendo americano Troy Perry, que fundou a ‘Metropolitan Community Church’ em 1968 se sentia discriminado na igreja pentecostal que freqüentava, em Los Angeles. Impedido de pregar pela sua orientação sexual, foi compelido a fundar sua própria congregação ao ver, tempos depois, um amigo gay ser agredido e preso pela polícia. Em seu desespero, o rapaz gritou para Perry: ‘Deus não se importa! Deus não se importa com os gays!’.

Essa relação entre fé e militância foi fundamental para o surgimento da Igreja. Na primeira reunião da ‘Metropolitan Church’ apenas 12 pessoas apareceram, entre elas um casal heterossexual. Um ano e meio depois, no entanto, a igreja já tinha mais de mil integrantes. Muitos heterossexuais vinham movidos pela curiosidade e o que atraia as pessoas é que não era dito que é errado ser homossexual. Os cultos, como em toda igreja cristã, incluíam música e dança. Atualmente com 60 mil membros e mais de 300 igrejas em 22 países ao redor do mundo, a ‘Metropolitan Community Church’ realizou o primeiro casamento público entre pessoas do mesmo sexo nos Estados Unidos, no ano de 1969. Desde a sua fundação, a Igreja e seus membros têm sido vítimas da violência e da intolerância religiosa. O Reverendo Troy, hoje aposentado, já recebeu diversas ameaças de morte e cerca de 22 templos em todo o mundo já foram incendiados.

No Brasil, a presença da ‘Igreja da Comunidade Metropolitana’ (ICM) que é o ramo brasileiro da ‘Metropolitan Community Churches’ e que chegou há cinco anos, ainda é pequena, chega a apenas nove cidades: São Paulo e Campinas (SP); Belo Horizonte e Divinópolis (MG); Fortaleza (CE); Teresina (PI); Curitiba e Umuarama (PR); e Vitória (ES). Somente em três delas (São Paulo, Belo Horizonte e Fortaleza), tem os serviços completos, que incluem ação social e militância pelo movimento LGBT.

Por essa atuação a ‘Igreja da Comunidade Metropolitana’ esteve na 'I Conferência Nacional LGBT', em 2008, e na 'II Conferência de Igualdade Racial'. Em 2003, o fundador da Igreja, reverendo Troy Perry foi convidado pelo Goveno Lula para discutir o ‘Programa Nacional por um Brasil Sem Homofobia’. (Fontes: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos, Terra Magazine e Revista Época)

Igrejas Inclusivas no Brasil
(clique)

Comunidade Betel do Rio de Janeiro
Comunidade Cristã Nova Esperança SP/CE
Igreja Cristã Evangelho para Todos SP
Igreja da Comunidade Metropolitana SP/BH
Igreja Progressista de Cristo PE






selo da lezzie

selo que ganhei da lezzie
do blog lez grrrls




5 comentários:

Lezzie disse...

Já vi uma frase do Rev. Troy Perry estampada em algumas camisas em inglês: "O senhor é o meu pastor, e ele sabe que eu sou gay." Legal né?!

Não sabia que eles tinham uma unidade em Belo Horizonte, vou procurar e conhecer. Obrigada pela informação, como sempre inteligente e importante.

Espero que esteja bem minha querida, use o meu e-mail sempre q precisar.

Beijo sempre grande e repleto de carinho!!!

llola disse...

oi meu amor, que saudades olha to aqui passando deixando xeiros e te pedindo pr air pegar seu presentinho na parte presente no meu mural e to levando seu banner comigo esta la nos meus parceiros xeros

Wellington disse...

Aqui em Recife também temos a Igreja Progressista de Cristo, que também é inclusiva, o site é http://www.todosdejesus.fr.gd

llola disse...

é tourino é fogo na roupa ta mara olha vou tirar o codigo vc apanha esta no meu mural presentes pra vc beijos

ɐlıɯɐɔ disse...

oi anjo.. igreja e eu somos cm agua e .... a deixa pra lá.. mas e ai cm tah vc, pq somi, mto ocupada ? bjks volte lá viu.