frase do dia: ‘a homofobia é mais uma constatação da perda da ternura no mundo, ser
preconceituoso com os LGBTs é retroceder; além de prejudicar o crescimento humano.’

(letícia spiller - atriz brasileira)

última atualização: 19/08/2009 20:36:42

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

ela e ela: anne bonny e mary read

Ano 1720, século 18, época onde mulher era propriedade e posse de seus pais e depois de seus maridos, duas mulheres, piratas, são julgadas por pilhagem em alto mar. Acredite, elas existiram.

Anne Bonny - a maioria dos historiadores acha que ela nasceu em Kinsale, na Irlanda em 1697 e como Anne Cormac. Filha ilegítima do advogado William Cormac e de sua empregada, Mary Brennan. A esposa de William fez de seu adultério um ato público, assim depois de perder sua reputação, William com sua nova esposa e filha recém-nascida decidiu deixar a Irlanda e iniciar sua carreira de advogado novamente. Eles compraram uma plantação no mundo novo da pré-independência e assim Anne foi criada até os treze anos nos EUA, na Carolina do Sul. Embora fosse filha de um rico advogado e proprietário de plantações, seu cabelo vermelho era cortado curto, sua cara era suja, e seus hábitos eram brutos. Conforme notas, Anne "cresceu amarrada, e era menima exaltada, de um temperamento feroz e corajoso" que mais de uma vez lhe deixou em situação complicada e dolorosa. Depois de perder sua mãe quando ainda era adolescente, Anne foi tomada conta pela empregada doméstica. Existem muitas estórias sobre seus 10 anos de idade; alguns dizem que Anne assassinou a empregada com uma faca, e existem outras que dizem sobre um homem jovem que ela colocou no hospital por diversas semanas, depois de sua tentativa fracassada de agressão sexual contra Anne. Mas aparte dos ataques ocasionais de seu temperamento era uma filha boa e obediente. Anne Bonny era uma mulher forte e independente, e que estava à frente do seu tempo, quando ainda era época que o homem tomava todas as decisões importantes, e época em que as mulheres não tinham direitos. Anos depois Anne era vista freqüentando os tavernas do porto. Seu pai deserdou-a quando ela fugiu com o amante James Bonny; por vingança, ela queimou sua plantação, em seguida fugiu para uma enseada controlada por piratas. Num curto espaço de tempo, ela descartou seu marido, e foi viver com o pirata Capitão Jennings e sua amante Meg. Aconselhada a conseguir alguma proteção masculina, transformou-se na amante de Chidley Bayard, o homem mais rico da ilha. Mas finalmente, ela abandonou Bayard pelo pirata John "Calico Jack" Rackham. Outros amigos homens de Anne foram gays, como Pierre Bouspeut ou chamado simplesmente de "Pierre, o pirata homossexual", que trajava vestido e era o designer de roupas finas de veludo e de seda.

Mary Read - usava o pseudônimo de "Mark" Read. A mãe de Mary há muito tempo atrás, na Inglaterra, vestia sua filha como um menino e fingindo assim que era seu filho a fim assegurar a herança dos avós paternos de Mary, que era reservado para um filho do sexo masculino. Mary veio eventualmente preferir tanto seu papel masculino que sua mãe deserdou-a. Ela então tornou-se aprendiz de sapateiro, e depois fugiu para juntar-se ao exército como um soldado. Ela casou com um soldado mas após três anos, seu marido morreu e assim ela novamente voltou a vestir roupas de homem e passou a assinar como um mercador holandês chamado Mark Read. Quando o navio em que estava foi capturado por piratas ingleses, ela decidiu juntar-se a eles.

No porto de New Providence, Mary Read encontrou-se com Anne Bonny e tornaram-se rapidamente amigas. Mas, o marido de Anne Bonny, James, reapareceu reclamando sua esposa, isto é, sua propriedade. Ele a sequestrou e trouxe-a amarrada e nua diante do governador, e este sugeriu o "divórcio pelo leilão", mas Anne recusou ser, como ela mesma disse, “comprada e vendida como um porco ou o gado” e nenhum comprador ousou reivindicar tal "hellcat" (uma senhora com temperamento feroz). Diante disso o governador foi forçado a libertá-la na condição de que ela retornasse ao seu senhor legal, mas James, que somente queria o dinheiro, fugiu com medo da tempestade que tinha causado. Anne e Mary, juntas, prepararam assim dentro da corveta uma perseguição a James; ele escapou mas elas queimaram seu negócios. No devido tempo, o grupo pirata de Anne foi refeito, com Anne e “Mark” constantemente juntas a bordo do navio. Esta intimidade despertou o ciúme de Calico Jack, que ameaçou cortar a garganta de “Mark”, foi quando descobriu ‘Mark” estendida na cama com Anne, nua e visivelmente uma mulher. Apesar desta suposta descoberta do verdadeiro sexo de "Mark", Anne e Mary (a quem parou de chamar a si mesma de "Mark"), ficaram inseparáveis, e ambas alternavam-se em vestir roupas masculinas e femininas. No devido tempo pegaram o comando de outro navio, e os navios-de-guerra foram enviados para capturar "aquelas mulheres infames." Elas abandonaram todo cuidado e invadiram numerosos navios. E uma das vítimas de seus atos de pirataria foi a rainha real. Finalmente Anne e Mary foram capturadas pelo capitão Barnet. No calor desta batalha final seu grupo as abandonou recusando-se a lutar. Elas e seu grupo pirata foram trazidos à julgamento na Jamaica, e culpadas por pirataria em 28 de novembro de 1720, e sentenciadas à forca. Anne e Mary rapidamente "defenderam suas barrigas" apesar de nenhuma das duas estarem realmente grávidas, e foram perdoadas. Este era um pedido comum entre mulheres sentenciadas à morte, a ponto que nenhuma corte enforcaria a vida de um inocente embora estivesse por nascer. Anne Bonny visitou Calico antes que fosse enforcado, e dito "estou triste por ver você nessa situação, mas se você tivesse lutado como um homem não teria que agora morrer como um cão." Mary morreu de uma febre contraída na prisão, e Anne apenas desapareceu. Uma história improvável é que casou-se e retornou a Charleston. Uma história ainda mais improvável é que entrou em um convento de freiras. A literatura pirata não é anotada com exatidão, e nunca houve toda uma completa pesquisa sobre as vidas de Anne Bonny e de Mary Read.

Nota: A história acima parece ser a mais exata e foi recolhida dos documentos mais originais da época. A evidência de sua homossexualidade não é assim bem definido, e a maioria era bissexual, assim o termo "lésbicas" não é estritamente exato. Alguns historiadores (homens) nos fizeram acreditar que Anne tinha rasgado as roupas de Mary, e ela mesma tinha descoberto o verdadeiro sexo de “Mark”. Isto é altamente improvável. As duas mulheres já tinham sido íntimas tempos atrás e por demasiado tempo e compartilharam de um estilo de vida tão difícil que era impossível não estarem inteiramente familiarizadas uma com o sexo da outra. E mesmo Mary se fingindo ser um homem, certamente Pierre (o amigo gay de Anne) teria descoberto a verdade há muito tempo atrás. O fato de retirar do episódio as partes consideradas incedentes (bowdlerization) e as tentativas de "explicar isso de outro modo" são típicos de como este par ousado é tratado; Anne Bonny freqüentemente aparece na literatura para crianças e em algumas caixas de cereais do tipo Shredded Wheat, onde ela é convencionalmente "normalizada" ao ser retratada como meramente uma senhora de um capitão pirata, ao invés da líder que ela realmente foi. O episódio em que Calico Jack descobre as duas juntas na cabine, na cama e sem roupas, tornou-se mais preocupante para os historiadores heterosexuais que deviam ter visto algo nisso. Sobretudo, é ímpar que as únicas duas piratas mulheres nos registros da históricos deviam ter terminado juntas, e nós não podemos levemente admitir seu amor óbvio um pela outra. Mas é impossível ignorar totalmente o ambiente lésbico de seu relacionamento e devemos levar em consideração o fato que agiram juntas como um casal e obviamente amarem uma a outra; assim a evidência sugere que devem ser relevantes para qualquer história de experiência lésbica.

moedas cunhadas em homenagem a Anne Bonny e Mary Read

(texto retirado do blog "Ligeiramente Lésbica")

Um comentário:

Marisa disse...

Olá...

Tive a grata surpresa de ver que um texto meu está sendo citado no seu blog.

Fique à vontade para isso.

O blog está meio parado porque não estava sem tempo para isso. Agora, vou ver se coloco textos novos, com a mesma temática.

Aqui mais uma vez o link :
http://ligeiramentelesbica.blogspot.com/

Obrigada.

bjs
Ligeiramente Lésbica