frase do dia: ‘a homofobia é mais uma constatação da perda da ternura no mundo, ser
preconceituoso com os LGBTs é retroceder; além de prejudicar o crescimento humano.’

(letícia spiller - atriz brasileira)

última atualização: 19/08/2009 20:36:42

sexta-feira, 8 de maio de 2009

sombra e luz (15)

Carrie Prejean, miss Califórnia

A jovem de 21 anos Carrie Prejean, representante do Estado da Califórnia, foi a miss americana que ficou com o segundo lugar no concurso de beleza nos Estados Unidos. Perdeu a competição por ter se manifestado contra o casamento entre homossexuais. A pergunta foi feita por um dos jurados do ‘Miss Estados Unidos’ e após a resposta da miss, que alienou milhões de americanos gays e lésbicas, suas famílias e seus apoiadores, houve vaias e aplausos. Ela era definitivamente a favorita até então, a sua resposta lhe custou a coroa. O vídeo com a declaração de Prejean tornou-se um hit na internet.

Carrie Prejean, está em Washington para ajudar o lançamento de uma campanha que se opõe ao casamento de pessoas do mesmo sexo, ela vai trabalhar ao lado da ‘Organização Nacional pelo Casamento’ para proteger os casamentos tradicionais. Para a miss, o casamento é ‘algo muito querido para o meu coração’ e que ela está na capital americana para ajudar a salvá-lo. Segundo Prejean, várias pessoas a elogiaram por defender o casamento tradicional.

Geanne Greggio

Geanne Greggio, 32 anos, professora nos ensinos primário, fundamental e médio em Embu das Artes, transformou-se em um dos principais nomes na defesa dos direitos de travestis e transexuais nessa pequena cidade do Estado de São Paulo. Nascida em Jaboticabal, interior do Estado, Geanne é uma figura singular. Articulada e extrovertida, ela usa sua inteligência para conquistar admiração. O fato de ter assumido sua mudança de sexo apenas aos 23 anos não chega a incomodá-la. Ela defende que sua decisão teve um motivo: queria ser antes respeitada por sua história de vida do que por sua simples condição de travesti.

Caçula de uma família de quatro irmãos, Geanne foi uma criança que brincava muito e sempre foi muito independente. Fez faculdade muito cedo, estudou Letras por opção e também para realizar o sonho de sua mãe, que sempre quis ter uma filha professora. Aos 19 anos já dava aulas no interior e, mais tarde, mudou-se para Embu das Artes, onde está há 10. Veio como homem, e quando completou 23 decidiu pela adequação. Deixou os cabelos crescerem, fez aplicações de laser para eliminar alguns pelos e foi mudando gradativamente. Um processo que durou três anos.

A maioria das travestis começa esse processo bem cedo e depois não consegue encarar a sociedade. Elas trabalham em empregos comuns, o que nunca foi o objetivo de Geanne que resolveu estudar primeiro. Agora é professora do Estado, dá aulas de português e inglês, e na Prefeitura é coordenadora de uma escola.

O preconceito existe sim, em todo o lugar, mas quando se tem um objetivo as pessoas acabam te respeitando. Geanne é educadora há 11 anos e aprendeu a lidar com o preconceito. Os alunos, pais e direção a respeitam, embora ela ainda tenha dificuldade com os outros professores e diretores. O Governo poderia abrir mais espaço nas escolas, trabalhar melhor o corpo docente e prepará-lo para essa realidade. As Ongs poderiam oferecer mais cursos profissionalizantes para que as travestis possam ter mais emprego e outras opções além da prostituição.

O preconceito pode ser combatido a partir do momento que as pessoas conhecem melhor uma travesti ou transexual que trabalha e que é profissional. Geanne trabalha na formação de cidadãos conscientes e quer formar seres críticos, mas pensantes e sem preconceitos. Ser uma pessoa pública ajuda a desmistificar que toda travesti só faz programa, que usa drogas e se marginaliza. Atualmente, Geanne está no processo de mudança do seu nome. Está casada há três anos, tem um marido que a respeita como mulher e a vê como mulher. (fonte: entrevista dada por Geanne para 'A Capa')

10 comentários:

Marcia disse...

Mara:

Que bom saber desse seu namoro repleto de individualidade(confesso que invejo um pouco,pois nem sempre minha mulher compreende meu distanciamento e olha que deixei isso bem claro quando nos casamos),digo "um pouco" por que adoro casar,enfim,passei uma lua de mel inesquecível em Águas de Lindóia certa vez,também conheço Valinhos.Tem muito a ver com esse clima outonal proposto pelo conto.Aquele friozinho noturno para dar um motivo a mais para abraçar e beijar.Seja feliz,querida.Beijos e obrigada pela visita,pela gentileza.

llola disse...

ola
vi seu ultimo post no blog de uma amiga minha e achei interresante e entrei li o texto e me surpreendi com tal, ja estava sabendo dessa miss ai, mais olha penso que os direitos tenquer ser preservados, mais os nossos porque banidos?
Somos iguais, sem individuais e isso dela é loucura o seculo 18 ja passou e mesmo assim la tinha o homosexsualismo, o caso so muda hoje que estamos nos legalizando e metendo as caras e vem essa broaca se meter pra ter midia me poupe ela esta dsatualizada precisa ler mais.... daqui a pouco ela é esquecida. dorei o blog e parabens ai.
xero.

ɐlıɯɐɔ disse...

uau só sucessos por auqi, adorei a historia de geanne o que ñ foi muito louvavel p/ a miss.. maS ENFIM, LINDAS HISTORIAS sempre são vistas cm historias cabulosas, ou seja antes de entender sempre é visto cm um tabu, o q infelizmente ñ foi o caso da miss, o que é uma pena..

Lelê Maria disse...

Que delicinha de blog.
Um beijo!

Laila Braga disse...

blog deveras interessante...

ɐlıɯɐɔ disse...

já comentei aki mas acho que meu coment ñ, foi, mas enfim, adori a historia de geanne.. bjks..

Juan Trasmonte disse...

Mara, muito troglodita esse pensamento da Carrie, né? E de muita gente que acredita que o casamento entre pessoas do mesmo sexo vai derrubar a sociedade ocidental. Alias, isso de "algo muito querido pro meu coração". Ah, tá bom, e porque não deixa o coração dos outros em paz?
bjs

llola disse...

mara
ea adm do portal das lindas, eu sou a llola venho diser que adoro seu blog, xero linda.

San Okeoman disse...

Nossa eu sou moro em Embu e só aqui noseu blog fico sabendo do trabalho de uma pessoa tão proxima.
Muito legal isto.
Já vou colocar na comunidade Infoco no topico o que rola nos Blogs.

Mih disse...

Bem, essa questão de homossexualidade é realmente muito interessante. Sou totalmente contra homofobia, acho que cada um deva viver a sua vida e os demais respeitar a "escolha" de cada um. Bem, passando para dizer que gostei muito do blog. ;*