frase do dia: ‘a homofobia é mais uma constatação da perda da ternura no mundo, ser
preconceituoso com os LGBTs é retroceder; além de prejudicar o crescimento humano.’

(letícia spiller - atriz brasileira)

última atualização: 19/08/2009 20:36:42

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

a mulher como medida

barack e michele obama

Eu tive a oportunidade de assistir a uma entrevista de Michele Obama, bem antes dela ser a mais nova primeiradama dos Estados Unidos, no programa de Oprah Winfrey, e fiquei encantada com a sua simplicidade e personalidade forte, ‘nervosa’ como a definem os conservadores. Nos poucos momentos em que pude ver, pela TV, a posse de Barack Obama, o que mais me chamou a atenção foi à sintonia fina que existe entre o casal, sentida pela troca de olhares entre os dois. Estava eu aqui a escarafunchar os neurônios para escrever algo poético a esse respeito quando li o texto ‘A mulher como medida’ do jornalista Luiz Caversan, e os meus neurônios foram apaziguados diante do belo pensar e escrever sobre os 'pops' Barack e Michele Obama.

E Obama acaba de estender o carinho e respeito que tem por Michele para todas as mulheres americanas ao assinar hoje 29/01/2009, sua primeira lei, o histórico 'Ato Lilly Ledbetter', que promove igualdade de pagamento entre homens e mulheres. Lilly Ledbetter, que dá nome ao projeto de lei, era supervisora da fábrica de pneus da ‘Goodyear Tire & Rubber’ e processou a empresa por discriminação de pagamento pouco antes de se aposentar, após 19 anos de serviço. Ledbetter ganhava US$ 6.500 a menos que o supervisor com menor salário. Barack assinou a lei em honra a sua avó, que trabalhou no banco a vida inteira e para as filhas, para que elas tenham oportunidades que a mãe e avós não imaginavam ter. (fonte: FolhaOnline)

A mulher como medida
por Luiz Caversan

'Nunca confie num homem que não respeita a mulher'. Esta frase, com a qual há de se concordar inteiramente, é do jornalista Caco Barcellos. Foi dita durante uma entrevista a Marília Gabriela no final do ano passado. Já estava para escrever sobre a frase do Caco, linda e das que devem ser registradas, mas faltava oportunidade ou o chamado 'gancho' - ou seja, a motivação jornalística que leva alguém a escrever alguma coisa. E o gancho veio no dia da posse de Barack Obama. Já havia observado o clima de total cumplicidade e intimidade que permeia o relacionamento público dele e Michele. Olho no olho, atenção permanente, sorriso franco. Ambos sempre lado a lado, nunca o homem na frente da mulher. Isso eu já havia percebido em inúmeras outras aparições públicas do casal, mas ficou muito mais evidente nas diversas oportunidades em que os dois foram flagrados, tão elegantes, cordiais e cordatos, durante as longas cerimônias da posse, das quais participaram também merecendo atenção e carinho, as duas mocinhas filhas de ambos.

É encantador o olhar que Obama sempre dedica à sua mulher, seus gestos delicados e sua deferência. A se fiar no paradigma do Caco Barcellos, este comportamento revela alguém em que se pode confiar. Um querido amigo, a quem fiz essa observação outro dia, preferiu o ceticismo e lembrou a música de David Bowie na qual ele afirma ‘I' m afraid of americans’ (‘Eu tenho medo de americanos’). Ok, motivos há, basta ter lido o noticiário relativo a eles nos últimos 20 anos. Nunca, porém, tinha visto naquele posto tão poderoso, não apenas um negro, um jovem multicultural, um político com idéias tão atraentes, mas sobretudo alguém tão respeitoso e delicado com mulheres. Prefiro, até segunda ordem, portanto, fazer um voto de confiança.

Um comentário:

Lezzie disse...

Perfeito mara*! Lindo Post! Beijos carinhosos pra vc!