frase do dia: ‘a homofobia é mais uma constatação da perda da ternura no mundo, ser
preconceituoso com os LGBTs é retroceder; além de prejudicar o crescimento humano.’

(letícia spiller - atriz brasileira)

última atualização: 19/08/2009 20:36:42

domingo, 21 de junho de 2009

filme: brüno

estréia dia 10 nos Estados Unidos e chega ao Brasil em 31 de julho

filme: brünoSacha Baron Cohen no filme: brüno

A nova comédia sarcástica do comediante britânico Sacha Baron Cohen que estreou nos EUA, anda causando polêmica até entre os ativistas gays. O nome do novo filme do criador de Ali G e Borat, o jornalista do Cazaquistão, é extenso: Brüno - Delicious Journeys Through America for the Purpose of Making Heterosexual Males Visibly Uncomfortable in the Presence of a Gay Foreigner in a Mesh T-Shir. Traduzido: Brüno - Deliciosas Jornadas Através da América pelo Propósito de Fazer Homens Heterossexuais Visivelmente Desconfortáveis na Presença de um Estrangeiro Gay numa Camiseta de Renda.

‘Brüno’ traz Baron Cohen como um jornalista austríaco gay que viaja aos Estados Unidos da América para cobrir o circuito de moda do país, e que no mesmo estilo de Borat, expõe a intolerância dos entrevistados, passando longe do humor politicamente correto. Mesmo antes da estréia mundial, o personagem provocou polêmica, principalmente na Áustria. Frases como ‘só quero viver o sonho austríaco de encontrar alguém, construir uma cave e começar uma família’, numa clara referência ao caso Josef Fritzl, o homem que manteve a filha Elisabeth, aprisionada em um porão durante 24 anos, levou imprensa austríaca a classificar o filme de ‘insultuoso’.

Sacha Baron CohenA divulgação do filme também produziu momentos curiosos: Bruno posou completamente nu para capa da revista GQ; e na última entrega de prêmios ‘MTV Movie Awards’, surgiu vestido apenas com uma tanga branca e umas asas de anjo, e aterrissou ‘de ré’ na cara do Eminem. O rapper deixou o local enfurecido. Na estréia do filme em Londres, horas antes do início do filme, Bruno desfilou pelas ruas londrinas vestido com roupas adaptadas da farda da guarda real britânica e acompanhado por uns esculturais homens igualmente fantasiados de guardas da rainha. Um dia depois, Sacha Baron Cohen apresentou o filme em Madrid. Bruno voltou a surpreender quando apareceu no evento vestido de touro acompanhado pelos respectivos toureiros.

Entre os ativistas gays existe uma divisão clara, uns acreditam nos efeitos positivos do filme contra a intolerância e outros enxergam que o novo personagem de Baron Cohen vai reforçar a homofobia. Entre os que defendem o filme está Aaron Hicklin, editor da revista ‘Out’, para ele, o filme tem a importante função de mostrar como a atitude das pessoas mudam quando descobrem que alguém é gay. Para Brad Luna, porta-voz da Campanha para os Direitos Humanos, tanto Baron Cohen como a distribuidora ‘Universal Picutres’ têm a responsabilidade de relembrar ao público de que o que está na tela foi feito para escancarar a homofobia. Não é a primeira vez que o ator de 37 anos é motivo de controvérsia, e de processos, sobretudo depois de seu personagem mais famoso, Borat.


3 comentários:

ɐlıɯɐɔ disse...

adoro comedia e adoro inovações tb, espero que ñ seja apelativo e que eu consiga assitir, bjs.. ^^

Nina Ferri niferri@gmail.com disse...

Olá meninas
A jornalista Lilian Werneck que acabou de lançar o filme O Móbile: Admiração (curta-metragem que conta a história de amor entre uma artista plástica e uma atriz) concedeu entrevista ao Bota Dentro (http://www.botadentro.com/2009/06/para-mim-o-amor-e-um-mobile-um.html) contanto como foi a criação do filme e destacando a importância da mídia, da imprensa e de produções artísticas no processo de visibilidade da homossexualidade. Na entrevista, ela aproveita e disponibiliza o link para download do filme. Eu assisti e adorei! Da para assistir online também.

Nina Ferri (www.botadentro.com)

Fabí disse...

Num sei porque mas eu não estou nem um pingo empolgada pra ver esse filme,simplesmente não vejo tanto carisma nesse ator.
E esse personagem me parece ser profundamente raso.