frase do dia: ‘a homofobia é mais uma constatação da perda da ternura no mundo, ser
preconceituoso com os LGBTs é retroceder; além de prejudicar o crescimento humano.’

(letícia spiller - atriz brasileira)

última atualização: 19/08/2009 20:36:42

quinta-feira, 9 de julho de 2009

filme: doubt

título no Brasil: 'dúvida'
gênero: drama
origem: EUA
ano de lançamento: 2008
direção: john patrick shanley
roteiro: john patrick shanley, baseado em sua própria peça teatral
elenco: meryl streep, philip seymour hoffman, amy adams, viola davis

Doubt

O filme é uma adaptação para a tela do livro que rendeu o prêmio Pulitzer ao dramaturgo John Patrick Shanley, que debate uma das questões mais dramáticas da atualidade, a pedofilia. Além de grandes atuações, o filme conta com um bom roteiro, cheio de sutilezas e surpresas. O filme se passa em 1964, um ano depois do assassinato do presidente John F. Kennedy. Dentro e fora dos EUA, esse início dos anos 60 era um momento de mudança. A igreja católica era varrida por novos ventos com um papa reformista, João 23. Fora dos conventos, o movimento pelos direitos civis acumulava algumas conquistas.

No bairro do Bronx, Nova York, a escola St. Nicholas, por exemplo, acaba de admitir seu primeiro aluno negro, Donald Miller (Joseph Foster). E o padre Flynn (Philip Seymour Hoffman) aproveita essas situações cotidianas para desenvolver seus sermões dominicais, acompanhados sempre por uma igreja lotada de fiéis. A dúvida é tema de um sermão, a mesma dúvida que acompanha os personagens.

Não se trata, apenas, de um filme sobre os dramas internos da igreja católica. É sobre a grande batalha da história e ela tem a ver com sexo e pedofilia. Os personagens são: um padre carismático e progressista que está ciente do novo momento da igreja, a antipática e conservadora diretora e madre superiora, um triste aluno negro, sua mãe e uma jovem freira ingênua.

A trama gira em torno das suspeitas da jovem freira de que algo esteja ocorrendo entre o padre e o menino negro, o primeiro e único negro da escola. Uma série de acontecimentos leva a uma cascata de dúvidas. E dúvida é algo que a diretora da escola católica de St. Nicholas, madre Aloysius Beauvier (Meryl Streep), não se permite alimentar e assume como verdade que o padre mente. O que leva o padre a se demitir. Entretanto, não se tem nenhuma prova de que tenha ocorrido algo entre ele e o menino negro.

Tudo se complica quando a mãe deixa claro para a madre superiora que sabe que o filho é ‘diferente’, e que se o padre gosta dele e o está ajudando, e se ele, seu filho, se sente bem com isso, que ela não atrapalhe as chances que seu filho negro tem de ter um diploma de uma escola que abrirá portas em seu futuro. Por que não aproveitar um amor útil?

Numa das cenas mais bonitas do filme, quando conversa com a jovem freira romântica, o padre amoroso e sincero afirma que o mal da madre superiora é optar pela virtude em detrimento do amor. Pergunta ele: não é nossa missão acolher e gerar amor no mundo? São essas dúvidas em relação à fé e às atitudes dos personagens que movem os acontecimentos. A questão principal do filme não está relacionada aos fatos, mas sim em como as evidências são interpretadas tanto pelos personagens quanto pelo próprio público.


3 comentários:

Arsênico disse...

Vamos supor que seria a história da vida de Michael Jackson... se ele fosse padre... néah?...

Como as pessoas adoram julgar sem provas...

Odeio!

***

umBeijo!

Fabí disse...

Assisti esse filme pq tem 2 atores maravilhosos no elenco ne, achei meio sacal mas é um bom filme.

Marcia Paula disse...

Olá, querida:

Adorei esse filme, cujo objetivo (pouco apreciado por alguns)é justamente nos deixar em dúvida.Primoroso.Beijos e beijos.